Informações Turísticas - Cultural

Caminho dos Escravos
Bem próximo à cidade de Diamantina, o caminho de pedras, construído pelos escravos no século XIX, faz parte da antiga Estrada Real. Este é um trabalho artesanal, preservado ainda hoje, como originalmente concebido. Ao longo da caminhada, observa-se a paisagem natural da região e a vista panorâmica de Diamantina.
Cruzeiro da Serra
O Cruzeiro da Serra localiza-se no morro de Santo António, a uma altitude de 1300 metros. De lá é possível ter uma ótima vista panorâmica de Diamantina e também observar o Pico do Itambé. Nesse local, onde predominam a vegetação de cerrado e a cobertura de formações rochosas. O Cruzeiro da Serra é o marco comemorativo do centenário da fundação de Diamantina (1838-1938).
Casa Chica da Silva
Nesta casa morou, entre 1763 e 1771, o contratador João Fernandes de Oliveira em companhia de sua amante, a ex-escrava Chica da Silva. Em 1771 foi construída na lateral da casa uma pequena capela para uso exclusivo de Chica. Esta, foi demolida em data desconhecida, teve apenas a sua fachada reconstruída em 1951. A casa tem um grande terreno nos fundos e uma fachada lateral de influência árabe. Atualmente, abriga a sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
Casa da Glória
Integrada por duas edificações dos séculos XVIII e XIX, ligadas por um passadiço, já abrigou o colégio das irmãs vicentinas e hoje é sede do Instituto Casa da Glória, da UFMG. Alguns acreditam que inicialmente a casa pertenceu à Coroa Portuguesa e, em seguida, a Dona Josefa Maria da Glória. Outros dizem que a casa teria sido construída a pedido dessa senhora. Isso explica a origem do nome.
Casa do Intendente
O sobrado foi construído por iniciativa do governo colonial, entre 1733 e 1735, para abrigar a Intendência dos Diamantes. Em 1950 foi restaurado pelo IPHAN e transformou-se na sede da Prefeitura Municipal. No segundo andar da casa do Intendente Câmara existem dois salões com tetos de gamela. Um deles é todo pintado em policromia, com motivos profanos. São cinco painéis, provavelmente datados de fins do século XVIII ou princípio do XIX, trabalhados em cores suaves e tonalidade pastel. Sua autoria ignorada.